domingo, 15 de agosto de 2010

O Mercado do Sexo !

O que vou escrever aqui agora pode parecer um pouco moralista de mais, nos dias atuais, mas é minha opinião pessoal e creio que de muitas outras pessoas.

Hoje em sua edição dominical o Diário da Região traz na sua reportagem de capa, mais uma vez o SEXO, destaque na sua página principal, e também completa reportagem em mais 3 páginas inteiras no caderno cidades, vejam  aqui o artigo completo

Por mais crua e nua que seja a reportagem, rica em detalhes, inclusive com o mapa da cidade de onde se encontrar um bom "programa" com o tipo de sexo, e com o preço de cada programa. Mais uma vez ressaltando a "Feliz" vida das universitárias que chegam a faturar até R$ 15.000,00 mensais com programas que custam até R$ 1.000,00. 
Como já disse uma vez no Twitter, sou contra este tipo de reportagem, por fazer apologia ao sexo, mostrando como obtê-lo facilmente, e ainda mais estimulando garotas e garotos a uma vida "aparentemente" fácil, pois poucos trabalhadores honestos que trabalham uma vida inteira, chegam sequer a ganhar um salário deste mesmo após um ano inteiro de trabalho.

Sei também que a Prostituição é a profissão mais antiga do mundo e nunca irá acabar. A vida fácil pode não ser tão fácil quanto aparece pois é um problema social sério e deve ser combatido e não favorecido. Mas também sei que estimular com repetidas reportagens no jornal, não é um serviço a comunidade e sim uma contribuição para que cada dia mais a sociedade se degenere.

Sem mais.

Um comentário:

  1. Eu acho que a pessoa que se sente estimulada a virar uma "profissional do sexo" apenas por ler uma materia no jornal não deve ser levada em consideração por parte alguma da sociedade.

    Pessoas de baixa renda que acabam indo para essa vida para sustentar seus vicios e sua familia eu julgo aceitavel.
    Universitarias que o fazem é pq sentem prazer em se achar cobiçadas, e como já são putas de nascença, apenas resolveram cobrar pelos serviços.

    O sexo só é vendido aos que querem comprar.
    Pensem nisso.

    ResponderExcluir