sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A política realmente perdeu o pudor !

Quando não há bons exemplo vindos de cima, todos julgam-se no direito de fazer aquilo o que bem entendem, mesmo que isto seja contra as leis.

Leis temos demais neste país, para todos os gostos e para todas as coisas, o que não temos um judiciário eficaz para que estas se façam cumprir.
No Brasil, onde nosso presidente em exercício viaja praticamente todos os dias para fazer campanha para sua candidata, utilizando-se de toda a estrutura a que ele tem direito, segurança, carros, aviões e todo aparato que requer a movimentação presidencial, e ai o partido se dispõe a ressarcir os gastos para a nação, calculados sabe-se de que maneira, e o TSE faz vistas grossas para este procedimento, pois engole a alegação de que após as 18 horas ele já cumpriu o seu horário de trabalho (..sic). Esquecendo porém que se ocorrer na nação alguma fato relevante que exija a imediata intervenção do presidente, ele pode agir mesmo estando em campanha (ilegal no meu ponto de vista), pois em nenhum momento ele deixou de ser presidente.

Enquanto estes exemplos (maus) continuarem a serem dados pela autoridade que deveria em primeiro lugar zelar pela democracia e observância as leis. Teremos fatos como o que vem ocorrendo pela região, onde todos os dias vemos candidatos, desobedecendo a lei eleitoral e fazendo churrascadas para atrair eleitores e tentar trocar os seus votos, por um pedaço de pão, uma cachaça e carne.
Desta vez foi o candidato do PT a deputado estadual João Paulo Rillo, foi o anfitrião da vez em um evento em Tanabi, onde pediu votos e atacou os tucanos. 


Realmente só resta torcer para que a ditadura não volte ao país, pois da maneira em que os fatos caminham, não estamos muito longe disto.

PS: Hoje mesmo recebi um convite para participar de uma "NetworK de empresários" onde dois deputados estarão presentes, em uma cidade da região. (olha que nome bonito arrumaram para a Churrascada), obviamente não estarei presente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário