segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um belo poema, e viva a democracia.

Abaixo a Ditadura

Um dia apareceu Uma turma "raivosa" no meu país
Prometendo tomar o poder
Um filhote de Fidel, um aprendiz
E o chavão da quadrilha era...
"Sem medo de ser feliz

Surgiu como um furacão
Essa casta de larápios
Parecia um arrastão
Prometia mudar o cardápio
De todo brasileiro cidadão
Que aderisse ao barbudo batráquio.

Foram do Oiapoque ao Chuí
Falando de honestidade
Posando de 'pais da ética'
Pregando moralidade
De maneira até profética
Os tais donos da verdade.

E o povo brasileiro
Ainda não acordou
Nesse horrivel pesadelo
Até se acomodou A foice e o martelo
Não é nosso simbolo, ditador!

Nosso é o verde e amarelo
Vermelho não é nossa cor
Nada de poder paralelo
E nem clima de terror
Amamos o que é belo
Somos da paz e do amor.

Chega de truculencia
Chega de patrulhamento ideológico
Chega de violência
Chega desse tumor demagógico.

Não queremos ditadura
Não queremos injustiça
Vamos arrancar a armadura
Desses falsos moralistas.

Nossa arma é nosso voto
Democracia é conquista
Merecemos um Brasil justo
E não de políticos extremistas
Vamos nos livrar desse susto
Da DEMOCRATURA petista.

TIAGILLA.15/07/07

Nenhum comentário:

Postar um comentário