quinta-feira, 14 de abril de 2011

Coragem, senhores (by Diário da Região)

Estava claro que todo aquele discurso de “transparência” e “vamos ouvir a sociedade” pregado por Oscarzinho Pimentel (PPS) era história para boi dormir. Na hora agá, os vereadores de Rio Preto mandaram às favas a opinião pública e decidiram sobre o reajuste salarial e o aumento no número de cadeiras sem dar a mínima para o povo. Para ser justo, respeitaram apenas o compromisso de elevar o salário do prefeito a R$ 11,3 mil, de acordo com a inflação - tinha servidor fazendo lobby para que o aumento chegasse a R$ 18 mil. Os vereadores traíram as audiências públicas duas vezes. Inventaram um índice inflacionário “fantasma”, que não corresponde à realidade, para justificar o reajuste dos atuais R$ 4,8 mil para R$ 6,5 mil. Levando em consideração as estimativas inflacionários do Banco Central para 2011 e 2012, o subsídio deveria ser, a partir de 1º de janeiro de 2013, de R$ 5,8 mil. O índice de 35% que levou aos R$ 6,5 mil só existe na cabeça dos espertalhões que querem passar a população para trás.

Outra desídia cometida pelos parlamentares foi fixar o aumento no número de cadeiras de 17 para 23 sem apresentar qualquer justificativa para isso. Enquanto em relação ao aumento salarial eles ao menos fingiram ouvir a sociedade, sobre o inchaço no número de vereadores eles sequer se deram a esse trabalho. Toda essa artimanha preparada pela Câmara vai custar, apenas em salários, a bagatela de R$ 5,8 milhões na próxima legislatura. O que falta para os vereadores é uma coisa só: coragem. Coragem para ouvir a população sobre a necessidade de se ampliar as vagas. Coragem de seguir aquilo que entidades da sociedade civil apontam. Coragem de deixar o corporativismo de lado e atuar a favor da população e pelo bem do dinheiro público. Apesar de os vereadores terem decidido informalmente, ainda é preciso apresentar e votar projetos de lei que estabeleçam o reajuste dos subsídios e o aumento de cadeiras. A pressão popular, como ocorreu recentemente na cidade de Sorocaba e em 2004 aqui mesmo em Rio Preto, pode e deve fazer diferença. Querem elevar o salário? Que seja, então, com base na inflação, conforme debatido com entidades representativas da sociedade civil. Pretendem criar mais seis vagas de vereador? Que debatam abertamente o assunto em audiências públicas e justifiquem - se é que têm argumentos - o que esses novos parlamentares vão trazer de positivo para Rio Preto. Não é difícil fazer isso. É só deixar a covardia de lado.
  
Publicado hoje no Editorial do Diário da Região

Nenhum comentário:

Postar um comentário