quinta-feira, 16 de junho de 2011

A culpa é de quem?

Como não poderia deixar de ser, a patacoada envolvendo a demissão de 274 comissionados na Prefeitura virou um jogo de empurra entre o atual e o ex-prefeito de Rio Preto. Assim que a decisão do Tribunal de Justiça foi anunciada, Valdomiro Lopes (PSB) tratou de destacar que as leis consideradas ilegais foram aprovadas antes de ele assumir a administração. Parte dos cargos considerados irregulares remonta à década de 90, mas outras funções foram alteradas na administração do hoje deputado federal Edinho Araújo (PMDB). Valdomiro faz questão de lembrar isso sempre que comenta o caso, sem citar diretamente o nome do adversário político. No último sábado, o deputado resolveu reagir às seguidas declarações do prefeito e emitiu nota na qual acusa Valdomiro de não ter se antecipado e evitado as exonerações. De acordo com o parlamentar, não houve nomeações, no período em que era prefeito, de apadrinhados para cargos considerados técnicos. Edinho disse ainda que o atual governo agiu “irresponsavelmente” e que usa argumentos “falaciosos” ao colocar nele a culpa pelas ilegalidades.

Como ocorre frequentemente em brigas políticas, nenhum dos dois está correto. Valdomiro e Edinho têm, sim, responsabilidade pelas nomeações ilegais. O atual prefeito, sabendo da ação na Justiça, poderia ter elaborado nova legislação regularizando as falhas apontadas pelo Ministério Público. Em vez disso, insistiu em defender leis claramente inconstitucionais, e agora se faz de vítima por ter ficado sem 274 assessores. Já a justificativa do ex-prefeito de que não nomeou apadrinhados para cargos técnicos não prospera. Tanto que o TJ exigiu a extinção de todos os cargos comissionados, inclusive os utilizados por Edinho no seu governo. O azar de Valdomiro é que a ação do MP foi proposta após ele ter sido empossado. Caso tivesse sido na gestão do ex-prefeito, o resultado seria o mesmo. A verdade é que ainda é muito cedo para antecipar a disputa eleitoral de 2012, que deve ter Valdomiro e Edinho entre os protagonistas. A troca de acusações nada acrescenta à cidade, principalmente quando os dois lados carecem de razão. Tanto é que o Tribunal de Justiça uniu os dois adversários: acusou ambos de “tentativa de fraude” ao reclassificarem cargos e funções para tentar dar a eles o verniz da legalidade. É o Judiciário dizendo, com todas as letras, que a culpa é de Valdomiro e Edinho. Precisa mais? 

Excelente Editorial do DiarioWeb

Comentário: A culpa é sempre dos políticos e povo acaba pagando por seus erros. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário