domingo, 3 de julho de 2011

Trânsito que mata.

Dados da Associação Preventiva de Acidentes e de Assistências às Vítimas de Trânsito (Apatru) colocam Rio Preto em alerta. Todo dia, ao menos 11 motociclistas saem feridos de acidentes nas ruas da cidade. No ano passado, foram registradas 33 mortes. Os números realmente impressionam: dos 5,1 mil acidentes ocorridos no município em 2010, 4,1 mil deles envolviam motos. O perfil das vítimas é homem, entre 18 e 40 anos, e pertencente à classe D. A maioria dos acidentes ocorre na zona norte. De acordo com o médico especialista em trauma do Hospital de Base (HB), Paulo Cezar Spada, as principais lesões são traumatismo craniano e face, múltiplas fraturas nos membros superiores e inferiores e lesões no tórax e no abdômen. Na moto, o corpo fica exposto a qualquer impacto, o que pode provocar lesões e até a morte. É óbvio que as condições das vias precisam estar impecáveis para reduzir a possibilidade de acidentes. Uma sinalização correta e visível é dever do poder público. Não são raros os casos em que motoristas e motociclistas recorrem à Justiça por ter se acidentado em buracos espalhados por ruas e avenidas de Rio Preto - e quase sempre levam a melhor sobre o município. Mas também é fato que a imprudência dos motoristas é fator preponderante nos acidentes de trânsito. 

Roberto Scarigella, criador da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo, acredita que boa parte dos acidentes poderia ser evitada se houvesse uma melhor formação dos motoristas e motociclistas. Para ele, mesmo com as recentes mudanças que tornaram mais rígidas as regras para se tirar a carteira de habilitação, a formação continua precária. 
A Prefeitura poderia dar sua contribuição também. É só investir maciçamente em educação no trânsito com o que se arrecada por meio dos radares. São milhões e milhões todos os anos. Aliás, o Fundo Municipal do Trânsito (Fumtran), formado pelo dinheiro com multas, deve ser voltado essencialmente para isso. O aumento da frota não precisa, necessariamente, ser acompanhado do aumento dos acidentes e mortes no trânsito. Mas infelizmente é isso que ocorre: entre 2009 e 2010, cresceu o número de acidentes, mortes e vítimas, tanto leves quanto graves. Só um trabalho sério e eficiente do poder público - que tem deixado a desejar - poderá conscientizar motoristas e motociclistas e, assim, mudar essa terrível realidade.
Do Editorial do Diário da Região.

Comentário: O Trânsito de Rio Preto, tem sido uma das minhas maiores críticas, tenho postado várias situações, mas a atual administração, insiste em manter um secretário que em 2 anos e meio não fez absolutamente nada para mudar esta situação, apenas instalou dezenas de semáforos, totalmente sem sincronização e está preocupado em multar e arrecadar. Até quando o prefeito e o secretário serão "cúmplices" destas mortes. ACORDA VALDOMIRO LOPES.

Um comentário:

  1. Pablo de Oliveira Santos7 de julho de 2011 23:09

    Será que tudo que acontece a culpa é do governo ?, quando alguem não respeita as leis de transito a culpa é do governo ? parem para analisarem os acidentes de transito, sempre, todos os acidente alguem cometeu uma infração, oras e a culpa é do governo. Parece que tem uma orquestra tocando a mesma música. Se no acidente não há sinalização pode falar algo, mas todos vëm a cidade é muito bem sinalizada, sinalização atual.

    ResponderExcluir