domingo, 7 de setembro de 2014

Independência não é morte !!


Hoje 7 de setembro pouco temos o que comemorar, logo que levantei veio um pensamento sobre algo que sempre escutei desde de pequeno e me fez refletir: Sempre se falou que Portugal, nosso descobridor e colonizador roubou a riqueza do Brasil, e que durante 322 anos, muito ouro, pedras preciosas e madeiras de lei, foram lavadas para a Europa, e que isto "sangrou" o Brasil.


Bem vamos então analisar: 
- Quais eram os meios de extração de ouro e pedras preciosas daquela época ? Existiam grandes máquinas ou milhares de pessoas para minerar o precioso metal e as pedras preciosas ? 
- Existiam meios de transporte e estradas para levar "toda" esta riqueza para os portos de onde seriam enviadas para o velho continente ?
- Eram os bandeirantes, que saíram em lombos de cavalos e burros, para achar ouro no meio do sertão, em número suficiente para levar toneladas e toneladas de ouro ?
- Os extrativistas tinham poderosas moto-serras para devastar florestas de Pau Brasil e transporta-las em carretas até os poderosos navios cargueiros, movidos a vento na época para transportar "toda" esta riqueza que nos foi subtraída ?

Hoje 7 de setembro, vemos que o roubo feito em 12 anos pelo PT, através de seus empréstimos bilionários para empresas duvidosas que jamais honrarão os pagamentos; através de doações a países africanos; à Cuba; à Venezuela; com a construção de obras de grande porte; através das doações milionárias as campanhas políticas que utilizam o dinheiro público pago a empreiteiras e bancos na certeza do retorno certo; através dos Mensalões; dos Petrolões e pelos milhares de cargos públicos que pouco fazem pelo país a não ser aumentas os gastos. Supera em algumas milhões de vezes o que foi "levado" pelos portugueses.

Mas um dia a história deste país será reescrita pelos nossos netos e bisnetos e talvez corrijam o grande erro e mostre a novas gerações,  que é capaz um bandido de 9 dedos roubar em 12 anos muito e muito mais que em 322 anos de colonialismo.

7 de setembro de 2014.

Nenhum comentário:

Postar um comentário